Mais participação? Mais Educação!

A frase “Cada povo tem o governo que merece” pertence ao filósofo francês Joseph-Marie de Meistre (175-1821). Ele afirmava que o motivo de termos uma política corrupta e ineficiente é a ignorância popular. Sendo assim, contra a participação popular nos processos políticos. Mas até quando a culpa de possuirmos uma política precária é dos eleitores?

O direito de escolher nossos representantes políticos foi um ganho enorme para toda população brasileira. Atualmente, contrariando a opinião de Meistre, um dos principais focos da Administração Pública (ou pelo menos dos estudantes de Administração Pública) é encontrar maneiras de incentivar a participação da sociedade nas tomadas de decisões e integrar ainda mais a sociedade na política.

Concordamos na ignorância de grande parte população a respeito de política. Contudo, entendemos que o responsável por isso é a própria estrutura política e educacional vigente.

Pode parecer clichê, mas ainda sim, uma Reforma na Educação é essencial para solucionar a maioria dos problemas sociais. Como exemplo, a implantação de educação política para alunos do Ensino Fundamental II. O objetivo é estimular o interesse pela política, fazendo-os a pensar de forma crítica e desejo em participar das tomadas de decisões quando abertas a eles.

Não adianta incorporar uma democracia mais participativa enquanto a população não tiver o mínimo de conhecimento técnico para participar ativamente das tomadas de decisões. Incorpora-la sem capacitação de seus participantes é dar uma falsa sensação de poder a população. É como colocar um avião nas mãos de quem não sabe pilotar. Pode permiti-lo a ir a onde quiser, mas não sairá do lugar.

Foto: Mayara Toyama

 

 

Escritor da semana – Raphael Cardoso

Assessor de Vendas da Alfa Pública Júnior

Deixe uma resposta

Tamanho da Fonte
Auto Constraste