Conheça a história de colecionadores de Lavras e Itumirim

Um dos colecionadores mais famosos do mundo, acreditem, é o museu. Outra instituição que muitas vezes ninguém percebe, é a biblioteca. E neste contexto de agrupar objetos, a UFLA iniciou um projeto onde colecionadores exibem suas peças tanto para a comunidade acadêmica quanto para a população da cidade.

Nivaldo Oliveria, diretor da biblioteca da UFLA, fala que as exposições sempre existiram, é uma prática comum na biblioteca e que a instituição tem trabalhado nessa divulgação de coleções.

Para os colecionadores, cada objeto da coleção conta uma história. Colecionar é muito mais que um hábito simples e individual. É como um resgate histórico, um fio condutor que liga memórias da vida do colecionador. Esse é o caso da coleção que está em exibição na biblioteca da UFLA, que conta com uma coleção de objetos de corujas. Essa coleção pertence ao Padre Bolivar, da cidade de Itumirim.

Diferente do Padre Bolivar, outras pessoas começam com o desejo de colecionar desde pequenos. Apaixonado por trens, a coleção de Guilherme Henrique, radialista de Lavras, tem o objetivo de resgatar a história das locomotivas mineiras.

Mesmo colecionando itens tão diferentes, uma coisa eles têm em comum. Uma peça sempre se destaca no meio das outras, um item é sempre o xodó do seu colecionador.

O colecionar é muito diferente do acumular. Segundo especialistas, o colecionismo contribui para a preservação da memória de cada pessoa, além de ser um exercício eficiente para o controle da ansiedade e do estresse. Então, que tal começar a colecionar alguma coisa?

Confira a matéria completa.

Deixe uma resposta

Tamanho da Fonte
Auto Constraste